Tour de France – 13ª etapa – Tours – Saint-Amand-Montrond

Mais um dia de sprinters?

Seguindo rumo aos Alpes, hoje os ciclistas saem de Tours rumo a Saint-Amand-Montrond. A cidade de Tours foi a chegada da etapa passada, vencida por Marcel Kittel (Argos). Saint-Amand-Montrond é conhecida por ser um importante centro de trabalho com ouro, com várias joalherias e escolas. Destaque para a pirâmide de vidro e aço Cité de l’Or (Cidade de Ouro).

Pirâmide de Saint-Amand-Montrond

 

O percurso

Mais uma etapa plana, com 173km. Apenas uma montanha, Côte de Crotz (cat-4, 1,2km, 4%), a pouco menos de 100km para o final. Uma pequena elevação aparece próximo da chegada, mas com apenas pouco mais de 2% de inclinação, não deve atrapalhar os sprinters. Se o final de ontem foi complicado, para a etapa de hoje a ASO colocou não duas, mas três curvas no último quilômetro, incluindo uma de quase 180 graus.

Perfil da 13ª etapa.

 

Primeiros km

181 ciclistas partiram de Tours. A principal ausência foi Edvald Boasson Hagen (Sky), importante gregário de Chris Froome (Sky), líder na classificação geral. Boasson Hagen se envolveu na queda próximo ao final da etapa de ontem e fraturou a escápula direita, abandonando o Tour.

Logo após a zona neutralizada, uma fuga se forma com 6 atletas: Yohann Gene (Europcar), Ruben Perez Moreno (Euskaltel), Luis Maté (Cofidis),  Przemyslaw Niemiec (Lampre), Kris Boeckmans (Vacansoleil) e Cyril Lemoine (Sojasun). Com 10km, a fuga abria 2 minutos de vantagem. Na frente do pelotão, novamente Omega, Argos e Lotto ditavam o ritmo para controlar a vantagem. Um considerável vento lateral soprava do lado esquerdo da pista, mas algumas árvores protegiam os ciclistas nos primeiros km.

Aos 56km, a Omega aumentou consideravelmente o ritmo, diminuindo a distância da fuga para 3:20 de um máximo de 3:50. Com esse aumento de ritmo o pelotão se dividiu em 3 echelons (grupos de ciclistas em formação em situações de vento lateral), com Ryder Hesjedal (Garmin), Damiano Cunego (Lampre), Thomas Voeckler (Europcar) e Jan Bakelants (RadioShack) entre os ciclistas do último grupo.

Fuga frustrada, montanha e sprint

Depois do ataque da Omega, Belkin e Saxo-Tinkoff se juntaram ao revezamento na frente do grupo do líder para manter os grupos separados. A 100km do final, Marcel Kittel estava no segundo grupo, a 1:30 do grupo de Froome. Pouco depois, a fuga original do dia é alcançada. Se aproximando da montanha do dia, Pierre Rolland (Europcar), líder dos montanhistas, ataca para ficar com o único ponto disponível.

Aos 84km, Alejandro Valverde (Movistar), 2º colocado no geral, tem um problema com sua bicicleta e fica para trás, perdendo 37 segundos com a troca e perdendo contato com o grupo de Froome. A Movistar manda 4 ciclistas para tentar trazer Valverde de volta para o grupo principal. 9º colocado na geral, Rui Costa (Movistar) também fica para trás para ajudar. O grupo da Movistar chega a ficar a 20 segundos de Froome mas o forte ritmo da Omega Pharma-QuickStep e Belkin faz essa diferença aumentar. A 75km do final, a vantagem era de 1:12. A Euskaltel também se junta ao trabalho no grupo de Valverde em favor dos seus líderes Igor Anton e Mikel Nieve, que estão entre os 15 primeiros na classificação geral. No pelotão de Froome, o único ciclista da Movistar é Nairo Quintana, 8º na geral. No sprint intermediário, André Greipel (Lotto) conquista os 20 pontos, seguido por Mark Cavendish (Omega) e Peter Sagan (Cannondale), à frente do pelotão que tinha 1:08 de vantagem sobre Valverde.

Pierre Rolland também tem um problema e fica para trás com alguns companheiros, sendo alcançado pelo grupo de Valverde. O forte ritmo da Belkin deixa Richie Porte (Sky) e outros para trás, aumentando a diferença para Valverde para 1:15. A 40km do final, a diferença chega a 1:55. Belkin e Omega continuam se revezando, a primeira para aumentar a diferença para o líder da Movistar e garantir Bauke Mollema em 2º, e a segunda para manter Marcel Kittel longe do sprint final.

Ventos de mudança

Aos 30km para o final, Saxo-Bank ataca com 6 ciclistas no melhor estilo contra-relógio por equipes e consegue fazer um grupo escapar do pelotão de Froome com ajuda dos ventos fortes. Omega Pharma também está neste grupo com Cavendish e outros, incluindo Alberto Contador, Roman Kreuziger (Saxo-Tinkoff), Bauke Mollema, Laurens Ten Dam (Belkin), Jakob Fulgsang (Astana) e Peter Sagan (Cannondale). Atrás, Sky, BMC e Lotto tentam uma reação para alcançar o grupo de Contador, mas de forma desorganizada. Aos 28km, o grupo de Valverde e Kittel perdia 3 minutos para a fuga, que abria 10 segundos para Froome. Aos 23km, a diferença de Valverde já era de 4 minutos, indicando desistência.

Enquanto a Saxo Bank seguia ditando o ritmo da fuga, a diferença passava de 30 segundos a 18km para o final. Aos 15km, 40 segundos e mais de 5 minutos para o grupo de Valverde. 10km para o final e o grupo de Contador mantinha 45 segundos de vantagem. No grupo de Froome, até a Ag2R ajudava na frente. Na fuga, mais de 90% do trabalho era feita pela própria Saxo-Tinkoff, enquanto Omega e Cannondale se guardavam para o sprint entre Cavendish e Sagan. 3km e a diferença passava um pouco de 1 minuto.

No último km, Niki Terpstra (Omega) ataca, forçando uma reação de Bodnar, leadout de Sagan. Na ultima curva, Sylvain Chavanel (Omega) trazia Sagan, seguido por Cavendish, este talvez traumatizado depois de ter um sprinter favorito atrás dele depois da última etapa. Quando Chavanel saiu, Sagan esperou Cavendish passar para pegar o vácuo e pelo menos garantir o 2º lugar. O britânico não teve dificuldades e levou a etapa. O grupo de Froome chegou cerca de 1:09 atrás, uma gigantesca diferença para corridas planas.

25ª vitória de Cavendish no Tour de France. Empatado com André Leducq, está atrás apenas de Bernard Hinault (28) e Eddie Merckx (34). Após a vitória, Mark Cavendish afirmou que usou mais força para acompanhar o grupo de Contador na hora da divisão que no sprint final e definiu bem como é a vida do ciclista quando os echelons se formam:

Quando os echelons se forman, é como você estar em cima de gelo se quebrando: Você tem cerca de 5 segundos para corrigir e ficar na posição certa ou tudo acaba. – Mark Cavendish

Tweets do dia

Resultados

Alejandro Valverde e a Movistar foram os grandes perdedores do dia. Valverde terminou o dia em 16ª na classificação geral, a 12 minutos de Froome, depois de começar em 2º. A Movistar tinha 3 ciclistas entre os 10 primeiros e agora só tem Quintana, que permanece em 8º. Também era líder no ranking de equipes e agora é a 5ª colocada. Entre os ganhadores do dia, Contador, Kreuziger, Fulgsang, Ten Dam e Mollema, que ganharam um precioso minuto e alguns segundos em cima de Froome. Na classificação de montanhas, tudo igual. E nos pontos, Sagan e Cavendish se distanciando mais ainda de Greipel e Kittel. Entre os jovens, Romain Bardet (Ag2R) ficou para trás e caiu para o 4º lugar.

Classificação da etapa

  1. Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step    3:40:08
  2. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    0:00:00
  3. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:00:00
  4. Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team    0:00:00
  5. Niki Terpstra (Ned) Omega Pharma-Quick Step    0:00:00
  6. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    0:00:00
  7. Alberto Contador Velasco (Spa) Team Saxo-Tinkoff    0:00:00
  8. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:00:00
  9. Sylvain Chavanel (Fra) Omega Pharma-Quick Step    0:00:06
  10. Michael Rogers (Aus) Team Saxo-Tinkoff    0:00:09

Classificação geral

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    51:00:30
  2. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:02:28
  3. Alberto Contador Velasco (Spa) Team Saxo-Tinkoff    0:02:45
  4. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    0:02:48
  5. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:03:01
  6. Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team    0:04:39
  7. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    0:04:44
  8. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    0:05:18
  9. Jean-Christophe Peraud (Fra) AG2R La Mondiale    0:05:39
  10. Daniel Martin (Irl) Garmin-Sharp    0:05:52

Classificação por pontos

  1. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    357
  2. Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step    273
  3. André Greipel (Ger) Lotto Belisol    217
  4. Marcel Kittel (Ger) Team Argos-Shimano    177
  5. Alexander Kristoff (Nor) Katusha    157
  6. Juan Antonio Flecha Giannoni (Spa) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    110
  7. Jose Joaquin Rojas Gil (Spa) Movistar Team    102
  8. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    101
  9. Danny van Poppel (Ned) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    87
  10. Daryl Impey (RSA) Orica-GreenEdge    76

Classsificação de montanhas

  1. Pierre Rolland (Fra) Team Europcar    50
  2. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    33
  3. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    28
  4. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    26
  5. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    21
  6. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    20
  7. Simon Clarke (Aus) Orica-GreenEdge    15
  8. Thomas De Gendt (Bel) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    14
  9. Peter Kennaugh (GBr) Sky Procycling    14
  10. Daniel Martin (Irl) Garmin-Sharp    13

Classificação dos jovens

  1. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    51:05:14
  2. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    00:00:34
  3. Andrew Talansky (USA) Garmin-Sharp    00:08:27
  4. Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    00:15:51
  5. Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team    00:33:24

Classificação das equipes

  1. Team Saxo-Tinkoff    152:22:21
  2. Belkin Pro Cycling    00:02:32
  3. Ag2R La Mondiale    00:10:37
  4. Radioshack Leopard    00:14:47
  5. Movistar Team    00:16:14

Ciclista mais combativo: Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step

Próxima etapa

Amanhã, última etapa antes das montanhas, um percurso recheado de pequenas montanhas que poderiam muito bem receber uma placa: “Dia da fuga”. Com o Mont Ventoux se aproximando, as equipes na luta pela classificação geral devem aproveitar para descansar um pouco mas tendo cuidado para não serem surpreendidas por um ataque. Os sprinters puros podem ter problemas com a sucessão de montanhas, para felicidade de Peter Sagan.

Perfil da 14ª etapa.

2 comentários sobre “Tour de France – 13ª etapa – Tours – Saint-Amand-Montrond

  1. Pingback: Tour de France – 14ª etapa – Saint-Pourçain-Sur-Sioule – Lyon | Ciclocoisas

  2. Pingback: Tour de France 2013 – Conclusão | Ciclocoisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s