Tour de France – 8ª etapa – Castres – Ax 3 Domaines

Olá, Pirineus!

Depois de alguns dias “planos” com bastante vento, o Tour chega aos Pirineus para o primeiro desafio nas montanhas. 195km separando Castres e Ax 3 Domaines. Castres é a capital do departamento de Tarn, próximo à divisa com a Espanha. Em 2007 recebeu o final da 12ª etapa, que partiu de Montpellier. Tom Boonen venceu o sprint à frente de Erik Zabel e Robbie Hunter. Em Castres fica o Musée Goya, um museu dedicado a pintores espanhóis, com destaque para o próprio Francisco Goya. Ax 3 Domaines é um resort de ski na comuna de Ax-les-Thermes, que em 2010 também recebeu um final de etapa, vencida por Christophe Riblon.

Interior de uma das galerias do Museu Goya.

O percurso

A etapa de hoje é bastante parecida com o estágio 14 de 2010, com a diferença de partir de Castres ao invés de Revel e tomar um percurso um pouco diferente até as montanhas. Após a leve montanha de Côte de Saint-Ferréol, em Revel, este ano os ciclistas seguem um plano percurso passando por Limoux até reencontrar o traçado de 2010 em Esperàza, pouco antes do sprint intermediário em Quillan. Partindo de Quillan o trajeto começa a subir levemente até encontrar a enorme montanha de Col de Pailhères (Hors Catégorie, 15,3km, 8%), ponto mais alto do Tour de 2013 a 2001 metros. A cada edição, o ciclista que liderar no ponto mais alto recebe o Souvenir Henri Desgrange, em homenagem ao organizador do 1º Tour. Passando pelo topo, a 28km do final, uma rápida descida de 20km leva os ciclistas ao pé de Ax 3 Domaines (categoria 1, 7,8km, 8,2%).

Perfil da 8ª etapa.

Primeiros km

Sem abandonos, logo após o início Johnny Hoogerland (Vacansoleil) ataca e é acompanhado por Jean-Marc Marino (Sojasun), Christophe Riblon (AG2R) e Rudy Molard (Cofidis), formando a fuga inicial do dia. Com 175km restantes, a vantagem já era de 7:30. Na primeira e pequena montanha do dia, Côte de Saint-Ferréol, Molard fica com o único ponto disponível. Mais adiante na etapa, Adriano Malori (Lampre) abandonou o Tour.

No sprint intermediário a 75km para o final, Hoogerland lidera a fuga, que tem pouco mais de 5 minutos de vantagem. Depois do esforço extraordinário de ontem, Cannondale puxa o pelotão para os pontos restantes, mas novamente André Greipel (Lotto) foi o melhor, seguido de Sagan (Cannondale) e Cavendish (Omega). Como o final é em montanha, Sagan deve terminar o dia com confortáveis 93 pontos de vantagem para Greipel.

Logo após o sprint, o temível trem da Sky começou aos poucos a se formar na frente do pelotão, com Geraint Thomas ditando o ritmo, mesmo com uma fratura na pélvis. Pouco depois a Belkin também manda alguns ciclistas para se revezar na perseguição à fuga. A 10km do início da montanha Col de Pailhères, a diferença cai para 3:35. A Saxo-Tinkoff também manda seus ciclistas para proteger Alberto Contador e marcar Chris Froome (Sky).

Col de Pailhères

Col de Pailhères

Chegando à montanha, os fugistas começam a se atacar, com Riblon dando um ataque mais incidente e se afastando dos companheiros, que tinham pouco mais de 1 minuto de vantagem p/ pelotão, liderado pela Sky, Saxo-Tinkoff e Garmin, que começa a se desfazer. Daryl Impey, líder na geral no início da etapa, se mantinha firme do lado dos favoritos, mesmo sendo esperado que ele perdesse a Maillot Jaune no final do dia. Robert Gesink (Belkin), o melhor ciclista azarado que nunca ganhou nada relevante no World Tour, ataca o pelotão e se distancia. No pelotão, a Sky responde aumentando o ritmo em busca de Gesink.

Pouco depois, uma careta surge na figura de Thomas Voeckler (Europcar), em um de seus típicos ataques. 15 minutos e 9 minutos atrás na classificação geral respectivamente, Voeckler e Gesink não chegam a ser um problema para os favoritos. Enquanto isso, Riblon mantinha a distância para o pelotão em 1:30, com 47 para Gesink e pouco mais de 1 minuto para Voeckler faltando 38km para o final. Mais à frente, ao lado de Gesink surge a endiabrada figura de Didi Senft, dessa vez com um uniforme amarelo.

Didi “El Diablo” Senft

Entre os ciclistas sendo desgarrados do pelotão estão Ryder Hesjedal (Garmin), que divide a liderança da equipe com Andrew Talansky e Daniel Martin, e Damiano Cunego, líder da Lampre. Aos 36km para o final, Daryl Impey finalmente cede após um ataque de Nairo Quintana (Movistar) forçar a Sky a aumentar o ritmo novamente com Vasili Kiryienka. Quintana rapidamente alcança Voeckler e se distancia. O colombiano venceu no começo do ano a Volta ao País Basco e vem fazendo uma ótima temporada e como lembrou o CyclingNews, ano passado ele conseguiu vencer o trem da Sky e levar uma etapa no Criterium Dauphiné. Diferente de Voeckler, Quintana tem um estilo de pedalada mais suave, sem demonstrar fazer tanto esforço. Pouco depois, Voeckler é desgarrado do pelotão.

Quintana também passa com facilidade por Gesink, que balança a cabeça e acena para as câmeras. 34km para o final e menos de 5km para o topo da montanha, Quintana alcança Riblon, com o pelotão 45 segundos atrás. 500 metros adiante o francês é deixado para trás. Pierre Rolland (Europcar) tenta um ataque e se distancia um pouco do pelotão, que ainda é liderado por 4 ciclistas da Sky. Mais um ataque no pelotão, dessa vez Igor Anton (Euskatel), mas que não consegue se distanciar muito do pelotão.

Kiryienka cede a vez para Kennaugh (Sky) e perde contato com o pelotão. O ataque de Quintana pesou na equipe britânica, com Froome correndo risco de ficar com apenas Richie Porte como gregário para a última montanha, enquanto isso Contador ainda tinha 3 companheiros junto com ele. Na frente, blocos de neve começam a aparecer e Quintana se aproxima do topo. No pelotão, para surpresa de todos, Tejay Van Garderen (BMC) é deixado para trás enquanto Cadel Evans (BMC) permanece firme ao lado de Contador e Froome. Quintana passa pelo topo da montanha com 1 minuto de vantagem para o pelotão, seguido por Rolland.

Ax 3 Domaines

Na longa descida de 20km, Thibault Pinot (FDJ.fr) confirma que descidas são seu ponto fraco e perde contato com o pelotão, que começa a tirar a vantagem de Quintana, 45 segundos a 20km do final e pouco menos de 13km para o fim da descida. Chegando em Ax-Les-Thermes, a Sky havia diminuído a distância para pouco mais de 20 segundos antes do relevo começar a subir novamente. Na frente, Rolland alcança por alguns instantes Quintana, que rapidamente o deixa para trás assim que a inclinação aumenta.

7km para o final e Quintana mantendo a vantagem em 25 segundos, enquanto no grupo de Froome e Contador o líder entre os jovens Michal Kwiatkowski (Omega) fica para trás. Richie Porte (Sky), principal gregário de Froome, assume aumentando o ritmo e deixando para trás vários ciclistas, entre eles Cadel Evans, Andy Schleck, Andrew Talansky e Daniel Martin. O grupo de Froome e Contador fica com apenas 5 ciclistas, sobrando apenas Froome, Contador, Porte, Valverde (Movistar) e Kreuziger (Saxo), já com apenas uma distância visual para Quintana.

Com 5km restantes, Froome assume, passando Quintana, que fica com Porte, e deixando Contador, Kreuziger e Valverde para trás. Porte tenta se desgarrar de Quintana enquanto Valverde se aproxima. Faltando 4km, Froome mantém mais de 20 segundos de vantagem para Porte. Mais atrás Contador, definitivamente num péssimo dia para seus padrões, é ultrapassado por Laurens Ten Dam (Belkin). A 3km, Froome tinha mais de 1 minuto para Contador, que é alcançado por Bauke Mollema (Belkin) e Mikel Neive (Euskatel),  e 30 segundos para Porte. Nos últimos 2km, Nieve e Mollema partem e Kreuziger tem que esperar Contador. Com a estrada ficando mais plana no último km, Chris Froome vence com aparente facilidade, abrindo 51 segundos para Richie Porte e 1:08 para Alejandro Valverde, seguido de perto de Mollema e Ten Dam. Contador terminou com enormes 1:51 de desvantagem.

Resultados

A vitória confirma Froome na liderança do Tour e como franco favorito para a classificação geral. De quebra empata com Rolland na liderança da classificação das montanhas. Peter Sagan continua como líder nos pontos. Entre os jovens, Quintana assume a Maillot Blanc. Nas equipes, a Movistar tem uma pequena vantagem para a Saxo-Tinkoff.

Tweets do dia:

Classificação da etapa:

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    5:03:18
  2. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    0:00:51
  3. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    0:01:08
  4. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:01:10
  5. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:01:16
  6. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    0:01:34
  7. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    0:01:45
  8. Alberto Contador Velasco (Spa) Team Saxo-Tinkoff    0:01:45
  9. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    0:01:45
  10. Igor Anton Hernandez (Spa) Euskaltel-Euskadi    0:01:45

Classificação geral:

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    08:15:55
  2. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    0:00:51
  3. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    0:01:25
  4. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:01:44
  5. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    0:01:50
  6. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    0:01:51
  7. Alberto Contador Velasco (Spa) Team Saxo-Tinkoff    0:01:51
  8. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    0:02:02
  9. Joaquim Rodriguez Oliver (Spa) Katusha    0:02:31
  10. Michael Rogers (Aus) Team Saxo-Tinkoff    0:02:40

Classificação por pontos:

  1. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    234
  2. André Greipel (Ger) Lotto Belisol    141
  3. Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step    128
  4. Alexander Kristoff (Nor) Katusha    111
  5. Edvald Boasson Hagen (Nor) Sky Procycling    88
  6. Marcel Kittel (Ger) Team Argos-Shimano    87
  7. Juan Antonio Flecha Giannoni (Spa) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    76
  8. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    75
  9. Danny van Poppel (Ned) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    73
  10. Jose Joaquin Rojas Gil (Spa) Movistar Team    66

Classificação das montanhas:

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    31
  2. Pierre Rolland (Fra) Team Europcar    31
  3. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    28
  4. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    25
  5. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    21
  6. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    20
  7. Peter Kennaugh (GBr) Sky Procycling    14
  8. Blel Kadri (Fra) AG2R La Mondiale    12
  9. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    8
  10. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    6

Classificação dos jovens:

  1. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    32:17:57
  2. Andrew Talansky (USA) Garmin-Sharp    00:00:46
  3. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    00:01:23
  4. Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    00:01:33
  5. Thibaut Pinot (Fra) FDJ.fr    00:04:37

Classificação por equipes:

  1. Movistar Team    96:01:20
  2. Team Saxo-Tinkoff    00:00:37
  3. AG2R La Mondiale    00:04:33
  4. Belkin Pro Cycling    00:05:17
  5. Sky Procycling   00:06:22

Ciclista mais combativo: Nairo Quintana (Col) Movistar

Próxima etapa

Amanhã, 168km e 4 montanhas de 1ª categoria nos Pirineus entre Saint-Girons e Bagnères-de-Bigorre. Froome e Sky devem entrar no modo defensivo, apenas marcando possíveis ataques e lutando contra os efeitos do cansaço do esforço de hoje. Com o sprint intermediário após duas montanhas difíceis, pode ser mais uma oportunidade para Sagan ampliar sua liderança.

Perfil da 8ª etapa

Um comentário sobre “Tour de France – 8ª etapa – Castres – Ax 3 Domaines

  1. Pingback: Tour de France 2013 – Conclusão | Ciclocoisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s