Tour de France – 7ª etapa – Montpellier – Albi

Na etapa de hoje, 205,5 km separam Montpellier de Albi, com algumas montanhas no meio do caminho. Albi, localizada às margens do rio Tarn, tem como principal ponto turístico a catedral de Santa Cecília, que em 2010 entrou na lista de patrimônio mundial da UNESCO. Começou a ser construída em 1287, sendo concluída cerca de 200 anos depois.

Catedral de Santa Cecília em Albi

Os ciclistas passarão por Col des 13 Vents, Col de la Croix de Mounis, Côte de la Quintaine e Côte Teillet antes da chegada em Abi, que, apesar de algumas rotatórias, possui uma chegada com poucas curvas. A montanha categoria 2 Col de la Croix de Mounis é um desafio para sprinters puros como Cavendish e Greipel. Apesar de ficar a mais de 100km da chegada, o relevo é bastante acidentado até o final e pode ser complicado manter viva alguma chance de todos chegarem para um sprint. A Cannondale pode tirar proveito disso para isolar na frente Peter Sagan, que consegue sprintar muito bem e não sofre tanto nas montanhas como os outros sprinters.

Perfil da 7ª etapa.

190 ciclistas iniciaram a etapa, com Janez Brajkovic (Astana) abandonando antes por causa de problemas no joelho decorrentes da queda no final da etapa de ontem. Com isso a Astana perde um terço da equipe apenas na primeira semana, ficando com apenas 6 ciclistas.

Nos primeiros km, Sep Vanmarcke (Belkin), Jens Voigt (RadioShack), Blel Kadri (AG2R), Enrico Gasparotto (Astana) e outros 2 atletas tentam uma fuga, mas diferente dos outros dias, são alcançados pelo pelotão rapidamente. 15 anos após sua estréia no Tour, onde por sinal começou atacando no primeiro estágio, Voigt ataca novamente, seguido por Kadri. Com 188km para o final, a vantagem para o pelotão era de 2:10. Pouco antes, no pelotão, uma queda envolvendo Edvald Boasson Hagen (Sky), Christian Vande Velde (Garmin), Dani Moreno (Katusha) e outros ajudou Voigt e Kadri a aumentar a vantagem. Com essa queda e a queda de quarta, no caminho para Marselha, Vande Velde põe um ponto final nas suas participações no Tour. Entre os machucados, um parafuso soltou um pouco numa placa que ele tem na clavícula…

178km para o final e a vantagem sobe para enormes 6:10, quando Omega parte para manter a distância sob controle. Na primeira montanha do dia, Col des 13 Vents, Kadri passa na frente de Voigt e fica com os dois pontos disponíveis. A 125km, a vantagem diminui para 4 minutos.

Logo após a curta descida começa a 2ª categoria Col de la Croix de Mounis (6,7km, 6,5%). Kadri e Voigt chegaram ao pé da montanha  com 4:15 de vantagem. Cannondale arrisca e força o pelotão, tentando desgarrar Cavendish (Omega) e Greipel (Lotto), ainda que faltando 111km para o final. 2km para o topo da montanha e Cavendish já estava a 1:40 do grupo de Sagan, que diminuiu a distância para a dupla líder para 2:30. Kadri consegue os pontos da montanha, com Pierre Rolland atacando do pelotão para tentar os pontos de 3º lugar e salvar mais um dia na Maillot a Pois. Romain Bardet (AG2R) segue Rolland, passando logo antes do topo, deixando apenas 1 ponto para ele. Com isso Kadri no momento é o líder das montanhas com 12 pontos contra 11 de Rolland.

103km restantes e a vantagem de Kadri e Voigt é de 1:20 contra um pelotão ainda puxado pela Cannondale. Enquanto isso, os sprinters Cavendish, Greipel, Marcel Kittel (Argos) e Matthew Goss (Orica) ficam para trás. Na marca de 97km para o fim, Voigt e Kadri são alcançados pelo pelotão. No sprint intermediário, Sagan bate tranquilamente Juan Antonio Flecha (Vacansoleil) e fica com os 20 pontos, enquanto seus adversários diretos na Maillot Vert ainda lutam para alcançar o pelotão.

Após o sprint, o ritmo do pelotão diminui um pouco e Jan Bakelants (RadioShack), Cyril Gaultier (Europcar) e Juan Jose Oroz (Euskatel) atacam próximo ao início da 3ª montanha do dia, Côte de la Quintane (6,5km, 3%). Para tristeza de Gaultier e Oroz, Bakelants está a poucos segundos de Daryl Impey (Orica) e o pelotão não deve permitir à fuga nenhuma chance de vitória. No topo da montanha, Bakelants lidera a fuga e fica com os pontos.

Com 50km para o final, o grupo de Greipel e Cavendish não consegue diminuir a distância para o pelotão liderado pela Cannondale, que permanecia em pouco mais de 2 minutos, e desiste de forçar, guardando forças para sobreviver às montanhas de amanhã. Os 3 na fuga permaneciam a 40 segundos de vantagem. No total a prova estaca com uma média de 39km/h, mas na última hora a média subiu para 46km/h, mesmo com o relevo acidentado.

Na última montanha categorizada, a 35km para o final, Jan Bakelants liderou a fuga no topo, com o pelotão ainda 50 segundos atrás.

Já próximo a Albi, a 13km do final a fuga mantinha 30 segundos de vantagem para o pelotão liderado por Cannondale e Orica, do líder Daryl Impey. Com 5km, a diferença no cronômetro some, sendo apenas visual. Algumas rotatórias em sequência demandam atenção dos ciclistas, como mostrou um erro da Cannondale que quase acabou em acidente na frente do pelotão.

3km para o final e a fuga é alcançada. Sagan ainda tem 3 companheiros à frente ditando o ritmo. No último km a Argos traz Degenkolb para frente, lado a lado com o trem da Sagan. Menos de 1km o trem a Argos passa à frente da Cannondale pela direita. Lampre surpreende trazendo Roberto Ferrari e tomando a frente pela esquerda e passando para direita. O trem da Argos se desfaz e Degenkolb fica na roda de Sagan, tendo que iniciar o sprint mais cedo, passando do lado esquerdo. Nesse momento, o leadout de Sagan sai da frente, deixando o eslovaco no vácuo do alemão, para lançar seu sprint no momento certo e ganhar sua primeira etapa nesse Tour. Um belo trabalho da Cannondale depois de liderar o pelotão por mais de 100km, ainda que com a ajuda da Orica.

Na classificação geral, dos jovens e por equipes não tivemos mudanças significativas. Daryl Impey chegou no grupo principal e mantém a Maillot Jaune pelo menos até amanhã, primeira etapa de montanhas. Nenhum favorito no geral ficou para trás no grupo de Cavendish/Greipel. Na classificação por pontos, Sagan deu um passo muito grande, ganhando os 65 pontos disponíveis na etapa enquanto a dupla adversária Cavendish e Greipel não marcaram nennum, chegando quase 15 minutos atrás do vencedor. Entre os montanhistas, Kadri ultrapassou Rolland, mas o dia de amanhã oferece pontos suficientes para algum atleta zerado ultrapassar ambos.

Tweets do dia:

Classificação da etapa:

  1. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    4:54:12
  2. John Degenkolb (Ger) Team Argos-Shimano
  3. Daniele Bennati (Ita) Team Saxo-Tinkoff
  4. Davide Cimolai (Ita) Lampre-Merida
  5. Edvald Boasson Hagen (Nor) Sky Procycling
  6. Francesco Gavazzi (Ita) Astana Pro Team
  7. Tony Gallopin (Fra) RadioShack Leopard
  8. Arthur Vichot (Fra) FDJ
  9. Manuele Mori (Ita) Lampre-Merida
  10. Sylvain Chavanel (Fra) Omega Pharma-Quick Step

Classificação geral:

  1. Daryl Impey (RSA) Orica-GreenEdge    27:12:29
  2. Edvald Boasson Hagen (Nor) Sky Procycling    0:00:03
  3. Simon Gerrans (Aus) Orica-GreenEdge    0:00:05
  4. Michael Albasini (Swi) Orica-GreenEdge    0:00:05
  5. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    0:00:06
  6. Sylvain Chavanel (Fra) Omega Pharma-Quick Step    0:00:06
  7. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    0:00:08
  8. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    0:00:08
  9. Nicolas Roche (Irl) Team Saxo-Tinkoff    0:00:14
  10. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    0:00:14

Classificação por pontos:

  1. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    224
  2. André Greipel (Ger) Lotto Belisol    130
  3. Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step    119
  4. Alexander Kristoff (Nor) Katusha    111
  5. Edvald Boasson Hagen (Nor) Sky Procycling    88
  6. Marcel Kittel (Ger) Team Argos-Shimano    87
  7. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    75
  8. Juan Antonio Flecha Giannoni (Spa) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    69
  9. Jose Joaquin Rojas Gil (Spa) Movistar Team    66
  10. Danny van Poppel (Ned) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    65

Classificação de montanhas:

  1. Blel Kadri (Fra) AG2R La Mondiale    12pts
  2. Pierre Rolland (Fra) Team Europcar    11
  3. Simon Clarke (Aus) Orica-GreenEdge    5
  4. Thomas De Gendt (Bel) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    4
  5. Jens Voigt (Ger) RadioShack Leopard    4
  6. Jan Bakelants (Bel) RadioShack Leopard    3
  7. Cyril Gautier (Fra) Team Europcar    3
  8. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    3
  9. Lars Boom (Ned) Belkin Pro Cycling Team    2
  10. Lars Petter Nordhaug (Nor) Belkin Pro Cycling Team    2

Classificação dos jovens:

  1. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    27:12:35
  2. Andrew Talansky (USA) Garmin-Sharp    00:00:16
  3. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    00:00:19
  4. Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team    00:00:25
  5. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    00:00:28

Classificação por equipes:

  1. Orica Greenedge    80:45:40
  2. Sky Procycling    00:00:08
  3. Saxo Tinkoff    00:00:19
  4. Movistar    00:00:25
  5. Garmin-Sharp    00:00:27

Ciclista mais combativo: Jan Bakelants (Bel) RadioShack Leopard

Amanhã, primeiro dia nos Pirineus. 193km separando Castres e Ax 3 Domaines. Uma chegada difícil, com duas montanhas enormes nos últimos 60km, incluindo a primeira chegada de montanha dessa edição. Não deve definir a classificação geral final drasticamente, mas vai servir para mostrar quem está na briga ou não.

Perfil da 8ª etapa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s