Tour de France – 18ª etapa – Gap – Alpe-d’Huez

Infinitos cotovelos

Primeiro dos 3 dias seguidos nas grandes montanhas dos Alpes. Hoje os ciclistas partem de Gap rumo ao mítico Alpe-d’Huez, escalando-o duas vezes. Gap foi o destino da 16ª etapa, que teve um final conturbado. O Alpe-d’Huez pode até não ser tão dura quanto o Mont Ventoux ou o Galibier, o qual normalmente inclui o Col du Telégraphe, mas é, com seus 21 cotovelos, sem dúvida a montanha mais famosa do Tour de France.

Alpe-d’Huez

O percurso

Depois do contra-relógio de ontem, hoje os ciclistas terão 172 km pela frente com algumas montanhas médias até chegarem no Alpe-d’Huez pela primeira vez. Após essa primeira escalada, os ciclistas subirão a precária Col de Sarenne mais adiante e depois descendo para voltar para a segunda e final escalada do Alpe-d’Huez. O sprint intermediário fica logo antes da primeira passagem pelo Alpe, em Bourg d’Oisans. As montanhas de hoje:

  • Col de Manse (cat-2, 6,6km, 6,2%) aos 13km
  • Rampe du Motty (cat-3, 2,4km, 8%) aos 45km
  • Col d’Ornon (cat-2, 5,1km, 6,7%)  82,5km do final
  • Alpe-d’Huez, 1ª passagem (sem categoria, 12,3km, 8,4%) faltando 68km
  • Col de Sarenne (cat-2, 3km, 7,8%) faltando 38km
  • Alpe-d’Huez, 2ª passagem (sem categoria, 13,8km, 8,1%) faltando 18km

Perfil da 18ª etapa.

Uma dúvida que pairou até antes da etapa era se a descida após a Col de Sarenne seria cancelada devido às condições da pista, visivelmente precárias. Mas a ASO confirmou que o percurso seguiria normalmente, uma vez que a pista secou à medida que a prova corria.

Como começou

Johnny Hoogerland (Vacansoleil) foi o primeiro a atacar, seguido por vários atletas. Movistar e Saxo-Tinkoff, principais adversárias da Sky, também lançavam ataques, forçando respostas de Froome e seus colegas. Por alguns instantes, Froome pareceu até mesmo isolado no grupo da frente. Um grupo de 9 atletas ganha uma boa vantagem após o topo da Col de Manse, que é conquistada por Ryder Hesjedal (Garmin). Nele estavam Tejay Van Garderen (BMC), Sylvain “wait for it” Chavanel (Omega), Arnold Jeanneson (FDJ), Christophe Riblon (Ag2R), Andrey Amador (Movistar), Thomas Danielson (Garmin), Jens Voigt (RadioShack), Lars Boom (Belkin) e Moreno Moser (Cannondale). Quando o ritmo finalmente fica calmo, dois atletas da Saxo-Tinkoff, Nicolas Roche e Sergio Paulinho, atacam formando uma fuga intermediária. Na segunda montanha, Ramp du Motty, Danielson lidera a fuga ficando com os 2 pontos. No pelotão, Alexey Lutsenko (Astana) abandona, deixando a equipe cazaque com apenas cinco ciclistas.

Na última montanha média do dia, Col de Ormon, Jeanneson passa à frente de Chavanel e Voigt, ficando com os 5 pontos. Enquanto isso alguns atletas como André Greipel (Lotto) já começavam a ter dificuldade atrás do pelotão na mesma montanha. Logo após o topo a fuga tinha cerca de 8:30 de vantagem para o pelotão liderado pela Sky e 5:40 para a dupla da Saxo.

Descendo para o sprint intermediário, ataques dividem a fuga, com Riblon, Van Garderen, Chavanel, Moser e Boom abrindo boa vantagem e sem disputar o sprint. No começo do Alpe-d’Huez, os dois grupos se unem novamente. Quando o pelotão passa pelo sprint, a Cannondale forma um grande trem para Sagan mas é Greipel que fica passa na frente.

Olá, Alpe-d’Huez

Já no Alpe-d’Huez, Paulinho deixa Roche para trás e segue sozinho. Na frente, Van Garderen ataca e apenas Riblon consegue acompanhar por alguns momentos, com muita dificuldade. Logo o americano abre uma boa vantagem para o francês. No pelotão, a Sky permanece à frente com 4 atletas protegendo Froome. A 53km do fim, o americano havia aumentado a vantagem para 8:20, após ter caído para cerca de 7:40 no começo da montanha. Atrás, Riblon seguida a pouco mais de 20 segundos e Moser, Voigt e Danielson estavam a 40 segundos do americano.

Alpe-d’Huez e seus cotovelos.

No pelotão, Thomas Voeckler (Europcar) ataca, trazendo o companheiro Pierre Rolland, seguido por Laurent Didier (RadioShack) e Wout Poels (Vacansoleil). Após abrirem uma distância razoável, Mikel Nieve (Euskaltel), 3º na classificação de montanhas, também ataca. Pouco depois, Didier fica um pouco para trás. Na frente, Moser aumenta o ritmo e alcança Riblon, já vendo Van Garderen à frente. Após um longo turno na frente do grupo de Froome, Sitsou (Sky) cede para David Garcia Lopez (Sky).

O próximo a atacar no pelotão é Andy Schleck (RadioShack). Ainda no pelotão, Michal Kwiatkowski (Omega) fica para trás ainda na primeira subida do Alpe-d’Huez. Além dele, outro que estava entre os 10 primeiros e ficou para trás foi Daniel Martin (Garmin). Na frente, Moreno Moser e Riblon alcançam Van Garderen e o italiano sprinta para conquistar os pontos da montanha. Schleck logo alcança o grupo de Rolland e Nieve, passando a ditar o ritmo e deixando Voeckler para trás. Chegando ao topo da montanha, a vantagem do trio Moser, Riblon e Van Garderen ainda passava dos 8 minutos para o grupo de Froome. No grupo de Schleck, Nieve ataca para conseguir mais alguns pontos na montanha.

Col de Sarenne e o tiro del Pistolero

Enquanto isso, o grupo de Moser já estavam no caminho para a perigosa Col de Sarenne, com Jens Voigt perseguindo alguns segundos atrás. O visual da estrada contrasta completamente com o Alpe-d’Huez, com estradas estreitas, sem árvores nas laterais e um belo precipício esperando os mais afobados. Sem contar infinitamente menos público. Chegando à montanha, Moser foi ficando para trás, com Riblon e Van Garderen abrindo uma boa vantagem.

Topo da Col de Sarenne

Quando o pelotão chega a Col de Sarenne, Hesjedal ataca mas logo o campeão do Giro de 2012 é alcançado pelo pelotão que agora era liderado por um atleta da Movistar. Assim que o canadense é alcançado a Sky volta a liderar com Peter Kennaugh. Outro top10 que tem problemas no pelotão é Laurens Ten Dam (Belkin), que vai ficando para trás. Na frente, Van Garderen passa à frente de Riblon para ficar com os 5 pontos, mas durante a (realmente) perigosa descida o americano tem problemas com câmbio e fica para trás. Mais à frente, já na floresta, Riblon sai reto em uma curva fechada e para na vegetação do lado, mas sem cair. Com isso Moser, que havia sido deixado na Col de Sarenne, assume a liderança da prova.

O pelotão iniciou a descida e aparecem alguns poucos pingos de chuva na camera. Roman Kreuziger (Saxo) ataca e logo é alcançado por Alberto Contador (Saxo), que passa rapidamente pelos atletas da Sky. Os dois abrem rapidamente alguns segundos para o grupo de Froome. Na frente, Moreno Moser seguia sozinho, ainda descendo a 27km do final. Mais adiante, Riblon alcança Moser, com Van Garderen perseguindo 30 segundos atrás. O grupo de Froome vinha 7:45 depois, com Contador 20 segundos à frente. O grupo de Schleck permanecia a 6:15 atrás dos líderes. A 21km do fim, a Movistar aumenta o ritmo no grupo de Froome com vários atletas, logo fazendo Contador e Kreuziger serem alcançados. Após ser alcançado, Contador faz uma rápida troca de bicicleta na parte plana entre a descida e o recomeço da escalada, tendo que lutar para voltar à frente do pelotão com ajuda de Jesus Hernandez (Saxo).

Alpe-d’Huez v2, barras de energia e redenção gaulesa

Van Garderen, Riblon e Moser começam a segunda escalada com 7:21 de vantagem para o pelotão e assim que a subida começa Moser fica para trás, pedalando no seu ritmo. Na primeira subida ele executou a mesma estratégia e conseguiu alcançar Riblon e Van Garderen no final. Chegando à montanha, o grupo de Nieve e Schleck é alcançado, assim como Rolland e Poels.

O forte ritmo da Movistar vai pulverizando a distância para fuga, tirando 2 minutos e baixando para 5:15 ainda antes do grupo de Froome começar a montanha. A 12km do final, Van Garderen ataca, abrindo alguns segundos para Riblon. No começo da montanha, Valverde ataca e Froome fica com Porte à frente ditando o ritmo. A dupla da Belkin, Bauke Mollema e Laurens Ten Dam, vão ficando para trás.

A mais de 10km do fim Froome lançou um ataque e logo alcançou o grupo de Valverde, reunindo os dois grupos. Joaquim Rodriguez (Katusha) e Nairo Quintana (Movistar) respondem rapidamente ao ataque de Froome. Após o ataque restou um grupo de cerca de 10 atletas com Froome. Kreuziger paga o preço do trabalho na descida e fica para trás. Froome lançou outro ataque e abriu uma boa vantagem. Quintana responde e logo alcança o líder e os dois abrem uma boa vantagem, alcançado Jeannesson, um dos remanescentes da fuga. Na frente, Voigt alcança Moser enquanto Van Garderen segue sozinho. Entre os favoritos, Contador fica para trás junto com Porte e Valverde, com Rodriguez mais à frente alcançando Quintana e Froome.

Quintana aumenta o ritmo trazendo Froome e Rodriguez. Enquanto isso Contador é largado por Porte e Valverde. Purito ataca abrindo uma boa vantagem de Froome e Quintana, a 4 minutos de Van Garderen. Kreuziger alcança Contador, que perdia mais de 1 minuto para o grupo de Froome. Porte incrivelmente alcança o grupo de Froome e dita um forte ritmo, alcançando Rodriguez.

Froome gesticula para o carro várias vezes e Porte volta para pegar algum tipo de barra energética. Esse reabastecimento viria a penalisar os dois em 20 segundos cada, além de 1200 Francos suíços para a equipe (Cerca de R$2800,00). Quintana aproveita e ataca, abrindo uma boa vantagem e trazendo Rodriguez mas logo abrindo um pouco deste também. A 3km Van Garderen seguia na frente sofrendo muito mas Riblon vinha forte, baixando a diferença para cerca de 20 segundos.

A 2km do final Riblon alcança Van Garderen e ataca, rapidamente abrindo do americano. Atrás, Fuglsang ataca no grupo de Contador, que tenta responder a 1:30 de Froome, este seguindo a 30 segundos de Quintana e Rodriguez. Já proximo à chegada, Riblon olha para trás, fecha a camisa e comemora bastante a primeira vitória da França no Tour, no mítico Alpe-d’Huez!

Van Garderen chega em segundo, exausto, e Moreno Moser completa o pódio. Quintana e Rodriguez chegam em 4º e 5º. Froome, também exausto, chega dando um tapinha nas costas de Porte, a 3:18 de Riblon.

Tweets do Dia

Resultados

Finalmente a França subiu ao posto mais alto do pódio nessa edição. Nairo Quintana é outro grande vencedor do dia, subindo para a 3ª colocação na classificação geral, a 20 segundos de Contador, abrindo mais ainda de Michal Kwiatkowski entre os jovens e diminuindo a distância para Froome na classificação de montanhas. Joaquim Rodriguez também cresceu muito, ficando a apenas pouco mais de 20 segundos do 3º lugar. Apesar da quebra no final, Froome ainda abriu mais vantagem, uma vez que Contador perdeu tempo na última escalada. A Belkin, após duas boas semanas no início do Tour, quebrou e viu seus atletas despencarem.

Classificação da etapa

  1. Christophe Riblon (Fra) AG2R La Mondiale    4:51:32
  2. Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team    00:00:59
  3. Moreno Moser (Ita) Cannondale Pro Cycling    00:01:27
  4. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    00:02:12
  5. Joaquim Rodriguez Oliver (Spa) Katusha    00:02:15
  6. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    00:03:18
  7. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling
  8. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    00:03:22
  9. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    00:04:15
  10. Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team

Classificação geral

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    71:02:19
  2. Alberto Contador Velasco (Spa) Team Saxo-Tinkoff    00:05:11
  3. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    00:05:32
  4. Roman Kreuziger (Cze) Team Saxo-Tinkoff    00:05:44
  5. Joaquim Rodriguez Oliver (Spa) Katusha    00:05:58
  6. Bauke Mollema (Ned) Belkin Pro Cycling Team    00:08:58
  7. Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team    00:09:33
  8. Michael Rogers (Aus) Team Saxo-Tinkoff    00:14:26
  9. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    00:14:38
  10. Laurens Ten Dam (Ned) Belkin Pro Cycling Team    00:14:39

Classificação por pontos

  1. Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling    380
  2. Mark Cavendish (GBr) Omega Pharma-Quick Step    278
  3. André Greipel (Ger) Lotto Belisol    227
  4. Marcel Kittel (Ger) Team Argos-Shimano    177
  5. Alexander Kristoff (Nor) Katusha    157
  6. Jose Joaquin Rojas Gil (Spa) Movistar Team    145
  7. Juan Antonio Flecha Giannoni (Spa) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team    110
  8. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    110
  9. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    92
  10. Daryl Impey (RSA) Orica-GreenEdge    91

Classsificação de montanhas

  1. Christopher Froome (GBr) Sky Procycling    104
  2. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    97
  3. Christophe Riblon (Fra) AG2R La Mondiale    77
  4. Mikel Nieve Ituralde (Spa) Euskaltel-Euskadi    63
  5. Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team    62
  6. Joaquim Rodriguez Oliver (Spa) Katusha    59
  7. Moreno Moser (Ita) Cannondale Pro Cycling    58
  8. Pierre Rolland (Fra) Team Europcar    51
  9. Richie Porte (Aus) Sky Procycling    48
  10. Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Movistar Team    34

Classificação dos jovens

  1. Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar Team    71:07:51
  2. Michal Kwiatkowski (Pol) Omega Pharma-Quick Step    00:09:06
  3. Andrew Talansky (USA) Garmin-Sharp    00:10:52
  4. Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    00:25:13
  5. Tejay Van Garderen (USA) BMC Racing Team    01:01:50

Classificação das equipes

  1. Team Saxo-Tinkoff    212:29:26
  2. Ag2R La Mondiale    00:06:05
  3. RadioShack Leopard    00:12:29
  4. Movistar Team    00:24:33
  5. Belkin Pro Cycling    00:28:37

Ciclista mais combativo: Christophe Riblon (Fra) AG2R La Mondiale

Próxima etapa

Outro dia pesadíssimo nos Alpes. Além de mais longo, com mais de 200km, o estágio já começa com duas montanhas fora de categoria. Após a última montanha, de categoria 1, uma rápida descida até Le Grand-Bornand. A 17ª etapa da edição de 2004 percorreu um trajeto praticamente igual, exceto pela penúltima montanha. Nesse dia Lance Armstrong lançou um sprint incrível para alcançar Andreas Kloden e ficar com a vitória.

Perfil da 18ª etapa.

About these ads

2 comentários sobre “Tour de France – 18ª etapa – Gap – Alpe-d’Huez

  1. Pingback: Tour de France – 19ª etapa – Bourg-d’Oisans – Le Grand-Bornand | Ciclocoisas

  2. Pingback: Tour de France 2013 – Conclusão | Ciclocoisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s